Quando levar uma criança com urgência ao oftalmopediatra?

19 de março de 2018
criança

Já explicamos em outros posts a necessidade de levar a criança para uma consulta oftalmológica de rotina ainda no primeiro ano de vida, idealmente nos primeiros 6 meses. Nessa idade, mesmo ainda o bebê não informando, com um exame de dilatação das pupilas conseguimos verificar a necessidade de óculos, alterações oculares e fazer exame do fundo do olhos (retina).

Existem algumas situações, no entanto, em que os pais devem ficar atentos e levar com urgência a criança para uma avaliação oftalmológica.

Confira as situações de alerta para uma consulta de urgência:

  • Estrabismo: os olhinhos desviando são sinal de urgência, pois podem comprometer o desenvolvimento da visão. Quando o estrabismo acontece, os pais devem levar à criança para uma consulta com um oftalmopediatra. No exame, será avaliada a função dos músculos oculares, dilatação das pupilas, verificação da presença de grau. É necessário entender a causa do desvio. Alguns estrabismos estão associados a graus altos de hipermetropia (estrabismo acomodativo) e podem ser tratados com óculos. Outros requerem correção com cirurgia de estrabismo. Alguns desvios ainda podem estar associados com quadros neurológicos mais graves. Fato é que quanto antes tratado o estrabismo, maiores as chances de um desenvolvimento visual adequado!
  • Nistagmo (tremor dos olhos): essa condição requer uma avaliação oftalmológica e neurológica completa.
  • Lacrimejamento constante: vários são os fatores para lacrimejamento. Pode ser desde quadros alérgicos, conjuntivite ou obstrução do canal lacrimal, até quadros mais graves como glaucoma congênito
  • Quando o teste do olhinho não foi realizado ou foi duvidoso: o teste do olhinho não substitui uma consulta oftalmológica. Na maior parte dos estados brasileiros, inclusive no Paraná, é lei que todos os bebês devem sair da maternidade com o teste do olhinho realizado. Mas, quando ele não é realizado, os pais devem procurar um oftalmologista com urgência. Este teste deve ser feito já nas primeiras semanas de ida
  • Bebês com olhos grandes e sensibilidade à luz: é importante avaliar a pressão intraocular nesses bebês para descartar o glaucoma congênito, que pode levar ao comprometimento permanente da visão se não tratado a tempo
  • Alteração na pupila: é urgência tanto alteração no tamanho das pupilas (anisocoria), como alteração na sua cor. A catarata infantil, por exemplo, torna as pupilas esbranquiçadas
  • Traumas oculares: nesses casos, o oftalmologista deve ser procurado imediatamente!

Essas são as principais situações de urgência, mas claro, que diante de qualquer anormalidade ou comportamento visual diferente que a criança apresentar, um oftalmopediatra deve ser procurado!

Restou alguma dúvida? Compartilhe conosco nos comentários!

Dra Dayane Issaho é oftalmologista pela Universidade Federal do Paraná. Fez especialização em Oftalmopediatria e Estrabismo na Universidade Federal de São Paulo e na University of Texas Southwestern em Dallas, EUA. Possui Doutorado em Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo. É preceptora do setor de estrabismo da Residência médica do Hospital de Olhos do Paraná. Possui ampla experiência no atendimento oftalmológico infantil e no tratamento clínico e cirúrgico do estrabismo.

Hospital de Olhos do Paraná
Rua Coronel Dulcídio, 199 - 1º andar
Batel, Curitiba, Paraná
CEP 80.420-170

INSCREVA-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER.

Powered by TNBstudio

Entre en contato