Dor de cabeça pode ser sinal de problemas oculares

18 de dezembro de 2017
dor de cabeça

Um motivo muito comum que leva as pessoas a consultarem um oftalmologista, especialmente as crianças um oftalmopediatra, é dor de cabeça. Mas, afinal, como as dores de cabeça podem estar associadas à visão?

Primeiramente, é preciso entender que a maioria dos casos de dor de cabeça não está relacionada a problemas oculares, especialmente na população infantil. Diante deste sintoma, é importante investigar com o pediatra causas como sinusite, stress (cefaleia tensional), enxaqueca, alimentação, que são as principais causas de cefaleia nos pequenos.

Mas, em alguns casos, alterações visuais podem sim causar dores de cabeça, cansaço visual e desconforto ao redor dos olhos.

Na consulta oftalmológica, o oftalmopediatra fará um exame ectoscópico, aferição da pressão intraocular, acuidade visual, avaliação da presença de estrabismo (exame de motilidade ocular) e, o mais importante, um exame sob dilatação das pupilas para verificar a presença de grau (erros refrativos) e avaliar o fundo de olho.

É recomendada dilatação das pupilas em todo exame oftalmológico de criança, mesmo que não haja queixa visual alguma. A musculatura intraocular dos pequenos é muito forte e, se fizermos o exame sem dilatação, essa musculatura pode trabalhar de forma a encontrarmos um grau equivocado. Os colírios usados na consulta infantil relaxam essa musculatura e permitem uma avaliação muito mais precisa da presença de erros refrativos (hipermetropia, miopia e astigmatismo).

Alguns problemas oculares que podem causar dores de cabeça são:

  • Hipermetropia e astigmatismo: esses erros refrativos fazem com que haja um esforço visual extra para focar. Graus baixos de hipermetropia e astigmatismo são muito comuns em crianças e nem sempre causam sintomas e requerem prescrição de óculos;
  • Estrabismo: principalmente os estrabismos divergentes e intermitentes podem causar desconforto e dores de cabeça nas atividades de leitura.  Quando lemos algo em curta distância, fazemos um leve movimento natural de convergência dos olhos. Pessoas que desviam os olhos para fora requerem um esforço maior para manter a nitidez no processo de leitura;
  • Inflamações oculares: podem causar dores de cabeça, além de outros sintomas oculares, como dores oculares, sensibilidade à luz e alteração da visão;
  • Glaucoma agudo: raro em crianças. O aumento súbito da pressão intraocular pode levar à dores de cabeça severas;
  • Pseudotumor cerebral: é uma condição mais neurológica do que oftalmológica. O aumento da pressão intracraniana (dentro da cabeça) causa dores de cabeça e, muitas vezes, o diagnóstico é feito pelo exame de fundo de olho, no qual o oftalmologista visualiza borramento dos nervos ópticos.

 

Apesar de não serem a principal causa de dores de cabeça, alterações visuais podem sim causar este sintoma. Diante das dores, um pediatra deve ser consultado e uma avaliação oftalmológica completa com dilatação das pupilas deve ser realizada!

Dra Dayane Issaho é oftalmologista pela Universidade Federal do Paraná. Fez especialização em Oftalmopediatria e Estrabismo na Universidade Federal de São Paulo e na University of Texas Southwestern em Dallas, EUA. Possui Doutorado em Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo. É preceptora do setor de estrabismo da Residência médica do Hospital de Olhos do Paraná. Possui ampla experiência no atendimento oftalmológico infantil e no tratamento clínico e cirúrgico do estrabismo.

Hospital de Olhos do Paraná
Rua Coronel Dulcídio, 199 - 1º andar
Batel, Curitiba, Paraná
CEP 80.420-170

INSCREVA-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER.

Powered by TNBstudio

Entre en contato