Conheça 13 exames oftalmológicos e para que servem!

10 de novembro de 2016
exames_oftalmológicos_para_que_servem

Infelizmente temos o péssimo hábito de procurar um médico apenas quando sentimos algum sintoma diferente. Prevenir é o melhor remédio! Além de ser mais barato que o tratamento, a prevenção melhora a qualidade de vida.

Quando o assunto são nossos olhos, recomenda-se pelo menos uma visita anual ao oftalmologista. Através da consulta, é possível ver como está a sua saúde ocular e realizar exames oftalmológicos preventivos e de diagnóstico precoce. Conheça agora alguns desses exames e qual a importância de cada um.

  1. Acuidade visual: O oftalmologista projeta letras e avalia a qualidade da visão do paciente, assim, consegue verificar possíveis distúrbios de refração;

  2. Biomicroscopia: Exame feito para verificar as condições da conjuntiva, pálpebras e parte anterior dos olhos;

  3. Biometria Ultrassônica: Exame que mede o comprimento axial do olho. Aplica-se uma sonda sobre a superfície da córnea que emite sons em alta frequência. Após um período de ondas refletidas o oftalmologista consegue calcular a distância entre as córneas. É útil para calcular o poder da lente intraocular em pessoas que vão ser submetidas a cirurgia de catarata;

  4. Campimetria: Avalia como está o campo visual. Nesse exame o paciente aperta um botão toda vez que perceber um ponto surgindo na tela. Útil para avaliar a visão periférica.

  5. Exoftalmometria: Faz a medida do grau de protrusão do globo ocular. Para esse exame o oftalmologista usa uma régua;

  6. Fundo de Olho: Com o uso do oftalmoscópio o oftalmologista consegue ver e avaliar como está o nervo ótico, retina e os vasos da retina;

  7. Gonioscopia: Com o uso de lentes especiais que ficam apoiadas na córnea, o oftalmologista consegue ver o ângulo em que a íris se encontra com a córnea. Feito com o uso de colírio anestésico, é indicado para pacientes com suspeita de glaucoma;

  8. Mapeamento da retina: Realizado com a pupila dilatada, é possível avaliar com detalhes toda a parte central e periférica da retina;

  9. Paquimetria ultrassônica: Importante exame para ver como está a espessura da córnea. Usa-se um ultrassom e o paciente deve ficar olhando para um ponto fixo. É importante na detecção de doenças como o glaucoma;

  10. Pressão intraocular: O oftalmologista utiliza um aparelho que lhe possibilita checar a pressão interna dos olhos;

  11. Reflexo pupilar: Equipado com uma lanterna, o oftalmologista consegue ver possíveis alterações na dilatação da pupila;

  12. Teste de Ishihara: Em uma série de cartões coloridos, com cada um tendo vários círculos de cores diferentes, o paciente precisa dizer o número que está vendo. Este exame analisa a percepção das cores e indica se o paciente tem daltonismo;

  13. Teste do olhinho: Feito em bebês ainda nas primeiras semanas de vida é um exame que pode detectar doenças como como catarata, glaucoma congênito, tumores, inflamações intraoculares e hemorragias. Com o oftalmoscópio o oftalmologista detecta o reflexo da retina que, quando saudável irá refletir tons de vermelho, laranja ou amarelo.

Ficou alguma dúvida? Escreva nos comentários. Em um futuro post mostraremos outros exames realizados pelos oftalmologistas.

O Portal da Visão Curitiba é um espaço de compartilhamento de notícias e informações sobre a oftalmologia, oftalmopediatria e assuntos de interesse para a área.

Hospital de Olhos do Paraná
Rua Coronel Dulcídio, 199 - 1º andar
Batel, Curitiba, Paraná
CEP 80.420-170

INSCREVA-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER.

Powered by TNBstudio

Entre en contato