Como enxerga quem tem catarata?

16 de janeiro de 2017

Antes de mais nada, vamos entender como a imagem é formada em nossos olhos!

Para que a imagem seja bem formada na retina, a luz passa através de dois importantes meios refrativos: a córnea e o cristalino.

A córnea é o primeiro e mais externo meio transparente dos olhos. Como se fosse um para-brisas. Possui curvatura característica e por ser o principal meio refrativo, é onde aplicamos laser para correção de miopia e outros tipos de aberrações da córnea.

O cristalino é uma lente transparente e um tanto flexível, que tem função de ajustar foco, alterando seu grau dependendo da distância em que os objetos se encontram. Esse ajuste de grau é possível pelo falto de o cristalino poder ficar mais redondo ou mais elíptico, alterando assim seu grau, fenômeno conhecido como acomodação.

cornea cristalino

 

Aumento do grau para leitura?

Com o passar dos anos, assim como nossa pele perde elasticidade, o cristalino que é formado por proteínas  perde elasticidade e transparência, tornando-se opaco e mais rígido.

O aumento da rigidez do cristalino impede o movimento de acomodação e torna-se cada vez mais difícil enxergar de perto, este é o fenômeno da PRESBIOPIA, popularmente conhecida como “braço curto”.

aumente o grau de leitura

Opacidade?

Tornando-se opaco, o cristalino espalha a luz que por ele passa criando sintomas de ofuscamento, distorção de cores e opacidade. É como se enxergássemos por um vidro embaçado, uma janela suja.

Atualizar os óculos atrasa a necessidade de cirurgia de catarata?

O uso de óculos corrige grau, porém não corrige opacidade. Por isso, a partir de certa idade e tendo esses sintomas de opacidade, a cirurgia é indicada.

A partir do momento em que o paciente tenha esses sintomas, não se deve postergar a cirurgia uma vez que o processo de progressão da catarata infelizmente é irreversível. E mais, para nós, cirurgiões de catarata, é mais confortável realizar a cirurgia de uma catarata moderada do que de uma catarata avançada, que muitas vezes é muito dura e necessita mais energia de ultrassom para ser removida.

 

Dr. Peter é formado pela Universidade Federal do Paraná e tem especialização em Oftalmologia pelo Hospital de Clínicas do Paraná. É mestre em Oftalmologia e Ciências Visuais pela Universidade Federal de São Paulo. Se aperfeiçoou no Brasil e no exterior em Cirurgia de Catarata a Laser e Cirurgia Refrativa. É colaborador do serviço de residência do Hospital de Olhos do Paraná, onde atua como médico preceptor e cirurgião. Dedica-se ao aperfeiçoamento científico estando atualizado na comunidade científica e participa dos maiores congressos na área.

Hospital de Olhos do Paraná
Rua Coronel Dulcídio, 199 - 1º andar
Batel, Curitiba, Paraná
CEP 80.420-170

INSCREVA-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER.

Powered by TNBstudio

Entre en contato