Coçar os olhos pode causar ceratocone?

11 de dezembro de 2017
coçar os olhos

Coçar os olhos, apesar de parecer proporcionar certo alívio, é um mau hábito que pode trazer sérias consequências para os olhos.

A causa mais comum de prurido (coceira) nos olhos é a alergia ocular. Muito frequente especialmente na primavera, a alergia dos olhos geralmente possui as mesmas causas da rinite alérgica (poeira, ar condicionado, pelos de animais, tapetes e cortinas em casa, etc).

Os sintomas mais comuns da conjuntivite alérgica são: vermelhidão dos olhos, lacrimejamento, hipersensibilidade à luz e coceira. O que poucos sabem, no entanto, é que coçar os olhos além de não aliviar o desconforto (coceira só gera mais coceira), pode levar à sérias doenças oculares, como o ceratocone.

O ceratocone é uma doença degenerativa da córnea, na qual ela vai se tornando mais “pontuda”, no formato de um cone, e mais fina. Esta alteração na estrutura ocular causa altos graus de astigmatismo irregular, dificilmente corrigidos apenas com óculos. A prevalência do ceratocone é de 1 para cada 2.000 pessoas.

A doença é progressiva e causa um grande impacto na qualidade visual. Geralmente os sintomas aparecem pela primeira vez no início da adolescência e incluem visão turva e sensibilidade à luz. A visão pode inicialmente ser corrigida com óculos ou lentes de contato rígidas, mas os casos mais avançados podem necessitar de transplante de córnea.

Um dos fatores mais importantes para o surgimento da doença é a fricção frequente dos olhos. O trauma repetitivo pode levar a alterações importantes na estrutura da córnea.

A doença costuma progredir nos primeiros anos. Se a córnea já estiver muito deformada, apenas o transplante de córnea é capaz de recuperar a visão. Porém, atualmente existe uma técnica capaz de diminuir a progressão da doença ou estabilizar a curvatura da córnea, chamada crosslinking.crosslinking é um tratamento pouco invasivo e seguro, no qual o oftalmologista utiliza riboflavina, um dos tipos de vitamina B, e um feixe de luz UV. Essa combinação é capaz de fortalecer e enrijecer a córnea.

Sabemos, no entanto, que a prevenção é o melhor remédio. Nunca devemos coçar os olhos, especialmente as crianças e adolescentes! Além disso, avaliações frequentes (anuais ou bianuais) devem ser realizadas com o oftalmologista. Somente um especialista será capaz de fazer o diagnóstico! Além do exame em consultório, ele solicitará uma avaliação complementar com uma topografia corneana.

Se houver alguém na família com ceratocone, o cuidado deve ser maior ainda! Além da consulta de rotina com o oftalmopediatra, pais e mães devem estar sempre atentos aos cuidados com a saúde ocular, principalmente em crianças com quadros crônicos de alergia!

Restou alguma dúvida? Compartilhe conosco nos comentários.

Dra Dayane Issaho é oftalmologista pela Universidade Federal do Paraná. Fez especialização em Oftalmopediatria e Estrabismo na Universidade Federal de São Paulo e na University of Texas Southwestern em Dallas, EUA. Possui Doutorado em Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo. É preceptora do setor de estrabismo da Residência médica do Hospital de Olhos do Paraná. Possui ampla experiência no atendimento oftalmológico infantil e no tratamento clínico e cirúrgico do estrabismo.

Hospital de Olhos do Paraná
Rua Coronel Dulcídio, 199 - 1º andar
Batel, Curitiba, Paraná
CEP 80.420-170

INSCREVA-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER.

Powered by TNBstudio

Entre en contato